8 respostas para saber o que é o fígado gorduroso

  1. O que é o fígado gorduroso? É a acumulação de gordura nas células hepáticas (hepatócitos). Outro termo frequentemente utilizado para fazer a ligação a esta condição é a infiltração de gordura no fígado ou pequenas séries de colecistectomia. Se apresenta entre 10 a 24% da população.
  1. O que causa?A acumulação de gordura no fígado pode ser visto nas seguintes condições:– Síndrome metabólica.– Desnutrição.– Perda rápida de peso.– Ingestão excessiva de álcool.– Corticosteróides.– Estrogênios sintéticos.– Aspirina.– Cocaína.– Medicamentos anti-retrovirais.– Lipodistrofias.– Doença hepática aguda da gravidez.– Doenças inflamatórias intestinais.– Diverticulose com o aumento da população bacteriana.– Vírus da imunodeficiência humana.– Vírus C da hepatite.– Tuberculose.– Cirurgia para obesidade.
  1. Quais são os fatores de risco?A presença de diabetes mellitus tipo 2, a obesidade, sobretudo a nível do tronco, o aumento de triglicerídeos e uma história familiar de pequenas séries de colecistectomia ou esteatohepatitis são alguns dos fatores mais comumente associados a esta doença.
  1. Quais são os sintomas?O fígado gorduroso geralmente suspeita em pacientes com doenças ou condições descritas anteriormente. Na maioria dos casos, o paciente encontra-se assintomático, mas pode apresentar fadiga, sensação de “plenitude” ou abdominal pode apresentar aumento de tamanho do fígado.
  1. Como se faz o diagnóstico? Vários estudos têm demonstrado que o fígado gorduroso é a causa mais comum do aumento de enzimas hepáticas em exames de sangue de rotina. Podem encontrar-se outras alterações sugestivas de disfunção hepática avançada, como são o aumento de bilirrubinas e diminuição das proteínas sanguíneas.

Para saber, com segurança, se um paciente tem fígado gorduroso é necessária a tomada de uma biópsia hepática, a qual nos permite investigar o avanço da doença.

  1. Como se acumula gordura no fígado?A patogênese não é de todo conhecido. Provavelmente, a teoria mais aceita é a de que os “dois toques”. Tudo começa com o acúmulo de gordura no fígado (primeiro golpe), o que leva a um estresse oxidativo (segundo golpe) que produz inflamação no fígado. O acúmulo de gordura ocorre por resistência à insulina, que leva ao acúmulo de triglicerídeos no fígado. A sua acumulação no hepatocito provoca alterações a nível da mitocôndria, que leva à falha funcional e produção de radicais livres, que por sua vez causam estresse oxidativo, o que nos leva à indução de uma resposta inflamatória, com o risco de fibrogénesis.
  1. Como pode originar outras doenças hepáticas?É comum encontrá-lo em pacientes com sobrepeso ou com diabetes mellitus. Os pacientes que têm durante vários anos uma alta ingestão de álcool podem desenvolver um fígado gorduroso.Considera-Se que 3 de cada 10 pacientes com progressiva, dado que pequenas podem evoluir para uma forma mais grave de dano hepático, inflamando as células do fígado, fenômeno chamado esteatohepatitis. Esta condição com o tempo pode desenvolver-se e o paciente pode desenvolver cirrose hepática (fígado curado).
  1. Qual é o tratamento?Recomenda-Se que os pacientes diabéticos com obesidade têm um controle adequado de seus sofrimentos. Devido a uma diminuição acelerada do peso pode ser prejudicial para o fígado, foi recomendada uma diminuição progressiva de peso de 500 g por semana, para crianças e de 1600 g em adultos.Nenhum medicamento foi testado redução de 100% o acumulo de gordura no fígado. Alguns medicamentos que eles usam são: Vitamina E, metformina, gemfibrozil, ácido interior, betaína, entre outros.

Fonte: Associação brasileira de Hepatología e Sociedade latino-Americana de Gastroenterologia, Hepatología e Nutrição Pediátrica.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*